sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Não quero ser amorfo.

o sol de uma manha retinando
o peito
de um calor maduro
com uma vida que pulsa
coração aberto
brilho avermelhado

não há fruto que boca nao coma
nem paloma que asa nao voe

por mais que me esforçe
em passar os dedos magrelos
nessas letras ladrilhadas


nao faz o seu sorriso

me descegue mornamente

para que eu possa rasgar
seus lábios, sua pele

liso, livre
como o mar
escorrido do verão.

me faça de amor

pobre das palavras

não

3 comentários:

Isadora M. disse...

imagens como 'retinando o peito' são muito boas. me peguei pensando no que seria um 'calor maduro'.

parabéns!

Julia disse...

Esse é incrivel! parabéns!!!
bjo

Ramando Carvalho disse...

Obrigado.